Barras de Cereais

As lojas de conveniência representam um canal com potencial para a subcategoria de Barras de Cerais, especialmente pelo perfil de seu público consumidor e pela praticidade da compra de um lanche saudável na correria do dia a dia. Contudo, deve-se ter atenção quanto ao espaço ocupado, afinal a subcategoria compete com as demais, maiores em share, com mix diversificado e abrangente.

O mercado de alimentos e bebidas saudáveis cresce continuamente. As barras de cereais se encaixam bem nesse cenário e é extensa a quantidade de marcas e sabores. Apesar do fit do canal com a oferta, a participação de Barras de Cereais nas vendas da categoria Bomboniere é bem tímida. Em 2017, foi de apenas 1,2% no mercado total das lojas de conveniência.

Leia mais
"Top 5"

As cinco marcas “top” de vendas, em 2017, foram Nutry, Ritter, Quaker, Nesfit e Trio, assim como em 2016.

Leia mais
Fabricantes

Nutrimental, Ritter e Pepsico ocupam, nesta ordem, o ranking de fabricantes.

Leia mais
Pódio

Nutry, individual, de 16 a 30gr, Morango c/ Chocolate, regular; Nutry, individual, de 16 a 30gr, Aveia/Banana/Mel e Nesfit, individual, de 16 a 30gr, Outro Sabor, regular ocuparam o pódio de produtos.

Leia mais
Sabores

Os sabores que mais vendem não podem faltar – Morango com Chocolate, Aveia/Banana/Mel e Banana figuraram no topo da lista do mercado total.

RANKING FABRICANTES - BARRAS DE CEREAIS

2016 2017
NUTRIMENTAL 1 1
RITTER 2 2
PEPSICO 3 3
NESTLE 4 4
UNITED MILLS 5 5

Fonte: Nielsen

RANKING MARCAS - BARRAS DE CEREAIS

2016 2017
NUTRY 1 1
RITTER 2 2
QUAKER 3 3
NESFIT 4 4
TRIO 5 5
HERSHEYS CEREAL 7 6
SUCRILHOS 6 7
KELLNESS 9 8
BIO2 10 9
LINEA 8 10

Fonte: Nielsen

RANKING PRODUTOS - BARRAS DE CEREAIS

2016 2017
NUTRY, INDIVIDUAL,DE 16 A 30 GR,MORANGO C/CHOCOLATE,REGULAR 1 1
NUTRY, INDIVIDUAL, DE 16 A 30 GR, AVEIA/BANANA/MEL 6 2
NESFIT, INDIVIDUAL,DE 16 A 30 GR,OUTRO SABOR,REGULAR 2 3
NUTRY, INDIVIDUAL,DE 16 A 30 GR,BANANA,REGULAR 3 4
NESFIT, INDIVIDUAL,DE 16 A 30 GR,MORANGO C/YOGURTE,REGULAR 4 5
NUTRY, INDIVIDUAL, DE 16 A 30 GR, BOLO DE CHOCOLATE 17 6
NUTRY, INDIVIDUAL, DE 16 A 30 GR, AVELA C/ CHOCOLATE 12 7
NUTRY, INDIVIDUAL,DE 16 A 30 GR,CASTANHA DO PARA,REGULAR 11 8
QUAKER, INDIVIDUAL,DE 16 A 30 GR,CASTANHA COM CHOCOLATE,REGULAR 8 9
NUTRY, INDIVIDUAL, DE 16 A 30 GR, CASTANHA CAJU C/ CHOCOLATE 24 10

Fonte: Nielsen

Alimentos saudáveis

“Segundo projeção da Euromonitor, o mercado de alimentos saudáveis deverá movimentar R$ 63,5 bilhões em 2018 no Brasil, alta de 0,8% em relação ao ano passado. O estudo da consultoria contempla todos os produtos que tenham ‘ingredientes não saudáveis suprimidos ou reduzidos, suplementos, livres de glúten ou lactose, com características saudáveis adicionadas e orgânicos’.”

Fonte: site DCI, 10/04/2018

Leia Mais

“A economia brasileira parece ter dado seus primeiros sinais de recuperação no primeiro trimestre de 2017, registrando um crescimento de 1% pela primeira vez em dois anos. A recessão, no entanto, impactou o setor de alimentos premium, atingindo as barras de snacks. As vendas no varejo das barras de snacks caíram 19%, uma vez que a economia começou a despencar em 2014. Esse declínio acentuado nas vendas destaca a forma como os consumidores reduziram seus gastos com itens não essenciais (ou simplesmente muito caros). De fato, de acordo com o relatório Estilos de Vida do Brasileiro: Adaptando-se ao Novo Normal, de 2016, um terço dos consumidores afirmou que cortaria “itens alimentares premium” caso precisassem reduzir despesas. (…)

Concentrar-se nos ingredientes presentes nesses lanches é uma estratégia que provavelmente repercute nos grupos demográficos mais jovens, que são os maiores consumidores de barrinhas. De acordo com pesquisa da Mintel sobre hábitos de consumo de snacks no Brasil, enquanto pouco mais de um terço dos brasileiros afirmam consumir barras de snacks, esse índice aumenta para quase metade das (sic) consumidores entre 18 e 24 anos. Além disso, enquanto os “lanches feitos com ingredientes naturais” são de interesse para 45% dos consumidores em geral, os jovens de 18 a 24 anos mostraram o maior interesse, com 52% deles afirmando o mesmo. Com a economia parecendo que está saindo da recessão, é provável que os consumidores retomem, gradualmente, a incluir mais alimentos premium como snacks em suas dietas.”

Fonte: site Mintel, 18/12/2017