Cervejas

Na conveniência, a Categoria Cervejas segue como uma das mais importantes no cenário de vendas e geração de tráfego, registrando em 2017 uma participação no Mercado Total das lojas de 21%. Entre os fabricantes da categoria, Ambev, Heineken e Petrópolis mantiveram, respectivamente, primeiro, segundo e terceiro lugares em vendas nas lojas de conveniência do Mercado Total. A CBBP (Companhia Brasileira de Bebidas Premium) conquistou a 4ª colocação, antes ocupada pela Brasil Kirin, que foi adquirida pela Heineken em 2017. Cerpa permaneceu em 5º lugar. Os cinco primeiros fabricantes do ranking concentraram 96,3% das vendas da categoria.

A categoria comprova que o canal é destino de compra do consumidor que busca pelo produto de sua preferência exposto da forma mais adequada nas geladeiras, walk-in’s e “caves”.

Leia mais
Ranking

No ranking de marcas, as cinco primeiras colocadas foram, nesta ordem: Skol Pilsen, Brahma Chopp, Heineken, Budweiser e Itaipava Pilsen.

Leia mais
Destaque

Em 2017, Heineken ultrapassou Budweiser e Stella Artois superou Antarctica Pielsen, no mercado total das lojas de conveniência. A marca Eisenbahn Pilsen também se destacou, passando da 15ª para a 9ª posição.

Leia mais
Liderança

No ranking de produtos, a liderança foi de Budweiser , garrafa, 300 a 349ml. Heineken, garrafa, 300 a 349ml, antes na 10ª colocação, conquistou o segundo lugar. Skol, lata, 350 a 400ml passou do 2º para o 3º lugar. Na sequência, Brahma Chopp, lata, 350 a 400ml; Stella Artois, garrafa, 251 a 299ml; Skol, lata, 251 a 299ml; Brahma Chopp, lata, 401 a 499ml; Skol, lata, 401 a 499ml; Eisenbahn, garrafa, 350 a 400ml e Itaipava, lata, 401 a 499ml.

Leia mais
Entre os 10

Eisenbahn, garrafa, 350 a 400ml passou da 23ª para a 9ª colocação.

Sobre o mercado

Em 2017, o volume de produção se manteve próximo ao ano anterior, quando alcançou 13,3 bilhões de litros, segundo a Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil). A entidade representa a Ambev, o grupo Petrópolis e a Heineken (que recentemente adquiriu a Brasil Kirin). Juntas, estas empresas respondem por cerca de 96% do mercado nacional.

Confira

70

bilhões de faturamento anual

1,2

milhão de pontos de venda

2,2

milhões de empregos

Gigante apresentou crescimento de 5,6%

“Os resultados alcançados por duas das gigantes do setor corroboram com a perspectiva de Petroni – de crescimento – ainda que a despeito da crise. Em 2017, a Heineken anunciou a aquisição da Brasil Kirin por US$ 704 milhões e passou a ser a segunda maior do País. A holding reportou lucro líquido global de 1,94 bilhão de euros em 2017, 25,6% maior do que o resultado obtido em 2016. Já a Ambev apresentou crescimento de 5,6% na receita líquida no ano passado, para R$ 26,35 bilhões, ainda que o volume de produção tenha crescido somente 0,7% ante 2016.”

Fonte: DCI, 07/03/2018.

Saiba Mais

Alta em relação a 2016

“Depois de um longo período de estagnação mesclado com queda, o mercado brasileiro de cervejas aposta todas as fichas em 2018. Pelas estimativas da Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil), 2017 fechará com uma ligeira alta em relação ao ano anterior, retornando à média de 13,3 bilhões de litros produzidos anualmente. Em 2016, último período da medição realizada pelo Sistema de Controle de Produção de Bebida (Sicobe) da Receita Federal, foram produzidos até outubro (quando foi interrompida a medição) 12,128 bilhões de litros de cerveja.”

Fonte: site Correio Braziliense, 26/01/2018.

Saiba Mais

A expectativa é de alta

“Depois de cair 0,8% de 2011 a 2016, o volume de cervejas comercializado no País deverá ter uma alta de 1,1% entre 2016 e 2021. Essa é a expectativa do banco de investimentos UBS, divulgada em relatório, com base em dados da Euromonitor. A expectativa é de que a receita cresça 7,3% até 2021 e de que os preços subam 6,2% no período. De acordo com a análise apresentada, o ambiente competitivo deverá ser mais racional, puxado pelo foco em produtos premium, o que deve alavancar a rentabilidade do mercado. Segundo o banco, esse cenário se justifica em função da aquisição da Brasil Kirin pela Heineken no ano passado.”

Fonte: site SM Supermercado Moderno, 09/01/2018.

Saiba Mais

 

RANKING FABRICANTES - CERVEJAS

2016 2017
AMBEV 1 1
HEINEKEN 2 2
GRUPO PETROPOLIS 3 3
CBBP 6 4
CERPA 5 5

Fonte: Nielsen

RANKING MARCAS - CERVEJAS

2016 2017
SKOL PILSEN 1 1
BRAHMA CHOPP 2 2
HEINEKEN 4 3
BUDWEISER 3 4
ITAIPAVA PILSEN 5 5
STELLA ARTOIS 7 6
ANTARCTICA PILSEN 6 7
ANTARCTICA SUB ZERO 8 8
EISENBAHN PILSEN 15 9
SKOL BEATS SENSES 9 10

Fonte: Nielsen

RANKING PRODUTOS - CERVEJAS

2016 2017
BUDWEISER, GARRAFA, 300 A 349ML 1 1
HEINEKEN, GARRAFA, 300 A 349 ML 10 2
SKOL, LATA, 350 A 400 ML 2 3
BRAHMA CHOPP, LATA, 350 A 400 ML 3 4
STELLA ARTOIS, GARRAFA, 251 A 299ML 6 5
SKOL, LATA, 251 A 299 ML 5 6
BRAHMA CHOPP, LATA, 401 A 499 ML 8 7
SKOL, LATA, 401 A 499 ML 7 8
EISENBAHN, GARRAFA, 350 A 400 ML 23 9
ITAIPAVA, LATA, 401 A 499 ML 14 10

Fonte: Nielsen